Desenvolvimento profissional

Orientação profissional: como ela irá mudar no século XXI

março 18, 2019
Tempo de leitura 7 min

A orientação profissional é um conceito comumente atrelado aos indivíduos que ainda estão em processo de escolha de uma carreira a seguir. Ela serve como um acompanhamento especializado a fim de estimular a pessoa a se autoconhecer, bem como a desenvolver a sua compreensão sobre seus potenciais, habilidades e fragilidades. 

No entanto, com o advento da convergência de tecnologias e em um contexto de mudanças cada vez mais dinâmico, esse tipo de orientação passou a ter forte impacto também sobre a vida de profissionais já experientes — até mesmo aqueles que já estão alocados em posições executivas.

Pensando nessa questão, este artigo traz um panorama sobre as mudanças do século XXI em relação às práticas de orientação e desenvolvimento profissional! Acompanhe!

Práticas de orientação profissional

Ao observar o mercado, é fácil perceber a necessidade de um direcionamento de carreira por parte das novas gerações inseridas nas organizações. Progressão de carreira, ocupação de uma nova posição, mudança de função: tudo isso exige preparação. Portanto, algumas práticas vêm sendo trabalhadas ao longo do tempo para servir como um norte para o colaborador. Veja as mais importantes:

Career counseling 

O career counseling foi introduzido por Frank Parsons no início do século passado, em razão de transformações profundas, cuja causa foi a convergência de rupturas econômicas, políticas, sociais e
tecnológicas. 

O propósito está ligado à necessidade do profissional de construção e progressão de carreira, mas ele reconhece que pouco do que conhece ou realizou será suficiente para um futuro muito distinto do passado familiar. Portanto, as dúvidas sobre o caminho a seguir alimentam o sentimento de ansiedade e angústia com o futuro. Nesse cenário, o counseling servirá como guia, norteando alternativas, ações e decisões.

No intuito de conquistar e manter profissionais mais engajados e produtivos, as organizações encontram no counseling tanto externo quanto interno um instrumento para orientação e escolha de trajetória para os colaboradores. No entanto, há um crescente número de casos de profissionais que buscam o career counseling por decisão privada, independente da corporação.

Coaching executivo

O coaching executivo, por sua vez, é um processo orientado para o desenvolvimento de competências acordadas entre o coach, o executivo (coachee) e a organização em que esse último atua, que precisa definir com antecedência os objetivos a serem trabalhados. Seria uma espécie de antecipação de atributos, e a ideia é preparar os futuros executivos para enfrentar desafios. 

Logo, o coaching será o responsável por provocar o colaborador a usar suas potencialidades para enfrentar obstáculos. Isso significa que o processo focará na melhoria do desempenho profissional e, consequentemente, dos resultados organizacionais. Consequentemente, o executivo melhora a sua tomada de consciência e passa a ser protagonista do seu desenvolvimento, com capacidade de enxergar além das suas funções atuais.

Mentoring 

Já o mentoring é uma prática em que um profissional experiente e com conhecimento mais avançado (mentor) tem o papel de orientar, apoiar e promover uma reflexão crítica junto do mentorado. Existem duas linhas do mentoring: a clássica (citada por Homero na Ilíada e Odisseia) e a formal (incorporada pelas organizações). No caso dessa última, ele compartilha experiências, mas também vivências e informações de carreira, bem como questões ligadas à organização.

A ideia é orientar e aconselhar o indivíduo na construção da identidade profissional, auxiliando não só no desenvolvimento, mas também na ascensão de carreira do orientado. Como resultado, espera-se que ele consiga ter clareza sobre o seu projeto de vida e carreira.

Coaching de liderança 

Temos também, nesse grupo de práticas de orientação e desenvolvimento profissional, o coaching executivo, notoriamente de liderança. O foco é maximizar a consciência e a autoconfiança do profissional, a fim de estimular o seu potencial para atuar enquanto líder. Para isso, o coach tem o papel de desenvolver a liderança do profissional, para que ele possa entrar em um ciclo de aprendizagem contínua.

A ideia é de que o líder esteja preparado para enfrentar desafios futuros, tendo mais influência sobre o grupo, mas também engajando-o, mesmo diante de ambientes incertos. Além disso, é trabalhado junto do profissional sua melhor capacitação para a atividade.

Preparação para as organizações do presente e do futuro

As bases de todas essas práticas de orientação e desenvolvimento profissional ainda seguem pelo caminho das competências. Apesar de serem focadas na avaliação sobre o domínio de algumas delas, mapeamento de potencialidades e desenvolvimento, o modelo precisa se adequar às necessidades atuais e futuras dos profissionais. 

É por isso que as práticas devem focar em uma análise de atributos de cada profissional, estudando sua disposição no oferecimento de seu trabalho para a organização. Portanto, é fato que as análises de prontidão e potencial passarão a ter presença cada vez mais forte no contexto organizacional moderno. 

Consequentemente, consultores e conselheiros precisam estar atentos para saber diferenciar o profissional que tem alto desempenho devido a uma circunstância à qual foi submetido daquele que, ao perceber o desafio futuro, consegue absorver determinada habilidade com antecedência. Ou, como observou Peter Drucker, “perceber os sinais antes das consequências serem sentidas.”

Nesse caso, o uso da análise de prontidão e potencial pode auxiliar na identificação, indicação e preparação de líderes e potenciais sucessores. Por meio dela, é possível identificar o indivíduo de alto desempenho que conseguirá entregar bons resultados no futuro e aqueles que poderão acelerar a ocupação de posições de níveis superiores de complexidade em tempos muito menores ao histórico da organização.

Análise de potencial 

O vocábulo “potencial” está ligado à qualidade de um profissional apresentar um conjunto de recursos pessoais para desafios de nível superior — a habilidade para executar uma função em determinado momento com desempenho elevado e efetivo. 

Se uma organização olha para o passado e afirma que, diante das situações, o profissional tem prontidão ou potencial, ela entra em uma afirmação equivocada. Afinal, as competências mudam ao longo do tempo, bem como as exigências por ela. Isso se deve às transformações e aos desafios constantes que surgem pelo caminho.

As organizações que conseguem atingir um potencial estratégico avançado são justamente aquelas capazes de desenvolver múltiplos potenciais dos sucessores para cargos-chave, garantindo, assim, um time mais qualificado para atender às suas demandas.

Mudanças na orientação profissional

O alinhamento entre as necessidades estratégicas da organização e o objetivo de seus profissionais faz com que a orientação profissional demande uma estruturação mais avançada. Por exemplo, o mentoring tem mais foco no projeto de vida, como meio que viabiliza o projeto de carreira, logo à pessoa,  enquanto o coaching está mais ligado ao melhor desempenho e, o respectivo desenvolvimento necessário para tanto. Nesse sentido, o career counseling busca orientar o alinhamento entre o que profissional tem de melhor a oferecer e as funções ou organizações que possam se beneficiar dos diferenciais do aconselhado.

O fato é que todas essas práticas devem estar embasadas nas novas particularidades do mercado atual e futuro (vide gestão de atributos). Portanto, é essencial que o consultor esteja atualizado e tire novas certificações para ter um diferencial frente ao mercado de trabalho. Isso impedirá que ele aplique uma abordagem obsoleta e ineficiente em um prazo muito curto. 

Quanto mais abrangente for a capacitação e mais adequada ela estiver às demandas futuras, melhor o trabalho desenvolvido pelo consultor junto do cliente; no caso, a organização via o profissional assessorado. 

A orientação profissional é essencial em face das disrupções que têm acontecido com frequência na sociedade. A partir dela, um profissional consegue entender muito melhor seu impacto na organização e os valores que podem ser agregados com uma atuação mais proativa. 

Portanto, se você já está se preparando e buscando uma parceria ainda mais qualificada para o seu trabalho como consultor, não deixe de entrar em contato com a Formare Associados!

Powered by Rock Convert

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up