Desenvolvimento profissional

O que é um change agent e como identificá-lo?

agosto 13, 2019
Tempo de leitura 8 min

Leonardo trabalha na mesma organização há cinco anos. Desde o início, apresentou uma postura de change agent. Essa característica foi percebida pelos seus gestores a partir de situações simples. Uma delas foi um momento de crise apenas seis meses depois de sua entrada no time.

Com as vendas em queda, foi iniciada uma busca intensa por estratégias que amenizassem o problema. Nesse cenário, Leonardo percebeu que o aumento da produtividade do time implicaria elevação da margem de lucro.

Por isso, motivou seus colegas, ajudou em situações complexas e tomou a frente dos processos. A consequência foi o alcance de resultados reais, inclusive, com o aumento das vendas e da satisfação dos clientes. Essa situação é um dos exemplos ocorridos em diferentes organizações. Você já se deparou com alguma pessoa assim?

Se sua resposta for “sim”, é provável que você já tenha percebido a importância desses indivíduos para o negócio e o desenvolvimento das capacidades dos profissionais. É por isso que, neste post, vamos tratar do agente de mudança, que reúne diferentes qualidades e apresenta características fortes de liderança. Vamos lá?

As características de um bom líder

As posições profissionais mudaram muito nos últimos anos. Hoje, o líder é quem está à frente de um grupo de pessoas, ainda que não esteja formalizado para essa atribuição. Ele se torna um verdadeiro exemplo para os outros e ajuda as pessoas a enxergarem seu potencial e valor para executarem suas funções.

Perceba que existe uma ressignificação na definição de líder. Ganha esse papel quem tem capacidade de se articular e representar o time em espaços nos quais os colaboradores não têm acesso. Na prática, o que acontece é que, quanto maior for a articulação desse profissional, mais elevada é a influência e a relevância dos projetos.

Para atingir esse patamar, o líder tem algumas características específicas. As principais estão listadas abaixo. Veja!

Inovação

O líder precisa ser, cada vez mais, inovador. Essa característica é necessária para pensar “fora da caixa” e encontrar soluções diferenciadas. Para isso, é essencial ter curiosidade e atenção às novidades. Reciclar os conhecimentos, conhecer novas tecnologias e pensar em soluções para facilitar a rotina de clientes internos e externos também são medidas fundamentais.

Criatividade

A criatividade é o que faz o líder tomar decisões acertadas e superar os obstáculos surgidos no dia a dia. Existem metodologias voltadas para aperfeiçoar essa característica. Um exemplo é o design thinking, que aplica ideias do design nos projetos, a fim de tornar sua elaboração mais ágil e inovadora.

Empreendedorismo

O mindset empreendedor é necessário para um bom líder, a fim de ele ser capaz de planejar, elaborar, colocar em prática e alcançar os resultados esperados. Esse aspecto também tem relação direta com a capacidade de solucionar problemas e engajar colaboradores. Assim, todos percebem a importância do seu trabalho para o alcance de objetivos estratégicos e se motivam ainda mais a seguir em frente.

O conceito de change agent

Nesse contexto de liderança, surge o conceito de agente de mudança. Sua definição remete ao próprio nome: uma pessoa capaz de habilitar e promover modificações necessárias à organização. Além disso, esse profissional fomenta e apoia o novo jeito de fazer as coisas — por meio da adoção de novos processos, estrutura de gerenciamento ou transformação do modelo de negócio.

Assim, o change agent é capaz de propor e liderar mudanças. Ao mesmo tempo, supera obstáculos, resistências e desafios derivados das alterações. Na atualidade, essa postura é essencial, já que o mercado é dinâmico e está em constante transformação. Nesse escopo, as responsabilidades assumidas por esse profissional — qualquer que seja a posição oficial na organização — são:

  • fomentar o valor das transformações e comprovar sua necessidade;

  • elaborar o modo de implantação das mudanças;

  • direcionar e auxiliar o time para colocar as alterações em prática;

  • garantir a implementação bem-sucedida de novos processos, estruturas e procedimentos, a fim de entregar o valor esperado.

Em suma, o agente de mudança liga a gestão organizacional — que exige a transformação — e os times, que serão impactados pelas modificações. Ele atua como articulador, comprova as razões que justificam as alterações, responde questionamentos e tem um papel persuasivo, com o intuito de engajar os colaboradores.

A identificação de agentes de mudança em sua organização

Qualquer mudança na organização impacta um dos seguintes fatores: processos, sistemas, estrutura de negócio e funções profissionais. Isso significa que o que muda são as pessoas, não a organização. Portanto, identificar os agentes passa por observar os indivíduos.

São agentes de mudanças aqueles profissionais com atuação de liderança, ainda que estejam em funções operacionais. Via de regra, eles buscam formas de se adaptar, criar processos e alterar estruturas. Junto a isso, influenciam outros colaboradores e os inspiram a desenvolver habilidades alinhadas às necessidades organizacionais.

Nesse cenário, o método Instrumentos de Assessment de Prontidão e Potencial (IAPP) contribui para a identificação dos change agents na sua organização. Isso acontece porque a metodologia utiliza diferentes técnicas e ferramentas para avaliar o nível de:

  • prontidão do colaborador na atual posição para enfrentar eventos futuros;

  • potencial do profissional para ocupar funções mais complexas em velocidade maior que o histórico do mercado e da organização.

Para chegar a esses resultados, o IAPP é aplicado a partir de diferentes técnicas, como discussão de casos reais e busca de consenso, entrevistas, role play e situações de crescente tensão. Todos esses eventos fazem os participantes lidarem com a realidade e demonstram como eles se portam em diferentes contextos.

A partir disso, fica fácil entender sua influência e persuasão, capacidade de construção de vínculos, perspectivas para o futuro e visão. Com a identificação dos agentes de mudança, você utiliza esses profissionais a favor da sua organização. Com isso, é possível diminuir em 80% o tempo para realizar um processo, que ainda é executado com três vezes mais credibilidade.

A implementação do change management

O change management — ou gestão da mudança — consiste na aplicação de uma série de ações que facilitam a adaptação da organização a novas situações. Tudo isso é feito a partir de um planejamento, que contempla:

  • atividades a serem executadas;

  • identificação das justificativas para a mudança;

  • implementação das medidas necessárias.

Assim, mais que uma análise detalhada do contexto atual, o change management é uma prática que visa ao alcance dos objetivos organizacionais. Essa abordagem ainda facilita as tomadas de decisão, a atuação dos times e a definição da direção para o futuro.

A questão que surge é: como implementar a gestão de mudanças na sua organização? Algumas dicas que ajudam a alcançar esse propósito são apresentadas a seguir.

Transforme as mudanças em algo normal

O change management precisa integrar a rotina da organização. Utilizar os agentes de mudança é uma maneira eficiente de continuar em evolução, porque eles se tornam ferramentas de alavancagem.

Seja paciente e persistente

As mudanças demoram a ocorrer, especialmente porque há resistência por parte dos colaboradores. Mostrar os motivos que justificam a transformação e utilizar os agentes ajuda a engajar os profissionais. Ainda assim, é preciso persistir. As modificações demoram a se tornarem naturais — mas trazem os resultados esperados.

Tenha conhecimento e lidere pelo exemplo

Os gestores tendem a apresentar mais conhecimentos e são reconhecidos como tal por seus pares. Contudo, podem se desconectar do restante do time. Por isso, é preciso ter atenção a esse quesito, especialmente no caso de mudanças constantes para se adaptar ao mercado dinâmico. Para isso, é preciso ser capaz de se articular e mostrar aos outros o que e como fazer, além dos benefícios a serem atingidos.

Planeje a mudança

A identificação do que será modificado e dos recursos e indivíduos necessários é o primeiro passo do planejamento. Mais além, é necessário compreender o objetivo a ser atingido e os custos envolvidos. Determine as atividades a serem executadas e mensure os resultados para verificar se é preciso fazer correções.

Todos esses passos estão relacionados ao change agent, que se torna um facilitador das transformações esperadas na organização. Por isso, o ideal é trabalhar com o método IAPP, que será capaz de detectar esses talentos no negócio. Para colocar essa metodologia em prática, o ideal é contar com uma organização de referência no fornecimento de estratégias na área de gestão de pessoas.

É isso que deseja para a sua organização? Então, conheça a Formare Associados! Entre em contato conosco, converse com nossos profissionais e veja como podemos alavancar o change management!

Powered by Rock Convert

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up