Desenvolvimento profissional

Afinal, qual a diferença entre soft skills e social skills? Saiba já!

junho 24, 2019
Tempo de leitura 6 min

É bem provável que você já tenha ouvido falar em soft skills e social skills. Esses termos são semelhantes e muita gente acha que são sinônimos. No entanto, existem diferenças cruciais e que requerem atenções distintas.

Como isso interfere nos times de trabalho? Essa resposta passa por diferentes vieses. Inclusive, há situações em que o cruzamento entre esses dois conceitos e sua combinação são benéficos para a sua organização.

Então, como entender essas abordagens? De que forma elas interagem? Essas são algumas respostas que apresentaremos neste artigo. Gostou? Saiba mais!

O que são as soft skills?

As soft skills são competências comportamentais e sociais. Por isso mesmo, são subjetivas. Elas têm relação direta com os aspectos mentais e emocionais, e são difíceis de serem ensinadas ou mensuradas.

Muitas vezes, essas competências são inatas, ou seja, naturais do indivíduo. No entanto, qualquer pessoa tem a capacidade de desenvolvê-las. Basta treinar e ter uma atitude mental adequada.

É importante destacar que elas são um contraponto às hard skills. Essas são as competências técnicas obtidas na escola, em cursos de formação ou até mesmo no trabalho. Alguns exemplos são:

  • domínio de softwares, como Photoshop, AutoCAD ou Excel;

  • certificações, a exemplo da SAP e Cisco;

  • conhecimentos em programação, contabilidade, estatística e mais;

  • fluência em determinado idioma, por exemplo, inglês etc.

As principais habilidades

O foco das soft skills é complementar as competências técnicas, com o propósito de ser um profissional completo. Muitas organizações, inclusive, destacam que os conhecimentos podem ser ensinados. Portanto, o que diferencia o bom profissional daquele ainda em formação são as habilidades emocionais.

Esse é o foco do mundo corporativo atual — e do próprio trabalho do RH, na hora de buscar talentos e alocá-los da melhor forma possível. Nesse contexto, as principais competências comportamentais são:

  • atitude positiva: causa boa impressão e leva ao aumento de produtividade;

  • resiliência: mantém a flexibilidade do profissional e o ajuda a lidar com fracassos, a fim de encontrar soluções criativas;

  • resolução de problemas: consiste na compreensão dos obstáculos, busca de saídas e validação dos resultados obtidos, ao mesmo tempo que aprende uma lição para o futuro;

  • gestão do tempo: é uma competência-chave para definir metas, fazer bons planejamentos, estabelecer prioridades e alcançar os objetivos traçados;

  • capacidade de comunicação: gera novos contatos com facilidade e mantém o bom relacionamento com colegas de trabalho e profissionais;

  • trabalho em conjunto: significa ter o espírito de colaboração e engajamento para atingir os resultados esperados;

  • potencial de aprendizagem: é a habilidade de reciclar os conhecimentos de forma constante e encontrar oportunidades.

O que são social skills?

As social skills são habilidades focadas na interação e comunicação com os outros. Ela abrange aspectos verbais e não verbais, como gestos, linguagem corporal, tom de voz e outras variáveis.

Essa é uma forma de construir bons relacionamentos e um networking fortalecido. Junto a isso, o desenvolvimento dessas competências permite agir da maneira correta em diferentes situações, sem adotar uma comunicação extremamente passiva ou agressiva perante os cenários.

As principais habilidades

O propósito dessas habilidades é trabalhar a socialização. Por isso, entre as principais estão:

  • influência;

  • persuasão;

  • negociação;

  • escuta ativa;

  • liderança;

  • delegação de responsabilidades;

  • empatia;

  • cooperação;

  • comunicação verbal e escrita;

  • comunicação não verbal.

No contexto corporativo, a importância dessas características é mensurar a habilidade dos indivíduos de trabalharem em grupo por meio da comunicação e das interações. Elas também são relevantes aos gestores, já que contribuem para a construção de um clima organizacional positivo e com uma relação de confiança junto aos colaboradores.

Como social skills e soft skills interagem?

O profissional completo reúne as habilidades técnicas, mas, principalmente, tem as competências comportamentais e de comunicação. Essas duas últimas são as mais relevantes, porque eliminam as barreiras corporativas.

Com as soft skills, você tem uma postura proativa e positiva. Enfrenta os obstáculos, encontra as soluções certas e aprende com os erros e os fracassos. Por sua vez, com as social skills — ou competências interpessoais —, há uma interação melhor com os outros.

É o caso de saber lidar com colegas e gestores para sinalizar suas preocupações e pontos de vista sobre determinados projetos. Juntos aos clientes, tem a capacidade de os ouvir com atenção e fazer os ajustes necessários para garantir a satisfação com o resultado da empreitada.

Perceba que as competências interpessoais fazem parte das comportamentais. Portanto, elas estão inter-relacionadas. Além disso, são muito procuradas no mundo corporativo, tanto para lidar com colegas quanto com clientes e gestores.

Devido a esses aspectos, a procura por candidatos, normalmente, recai nessas competências interpessoais. Elas são vitais para a manutenção do talento no negócio e o máximo aproveitamento de suas capacidades.

Como identificar esses aspectos no time de trabalho?

Para fazer essa análise, é preciso utilizar métodos de mensurar os aspectos subjetivos. Parece contraditório, certo? Mas não é. Na verdade, é possível adotar mecanismos de identificação, sendo um dos principais o IAPP. O método Instrumentos de Assessment de Prontidão e Potencial é uma evolução de outras metodologias tradicionais, como o CHA (competências, habilidades e Atitudes).

Voltado para o futuro, o IAPP utiliza diferentes técnicas para identificar o nível de prontidão do profissional na posição atual, diante de momentos futuros que podem ocorrer. Ele ainda avalia o potencial do indivíduo para ocupar posições mais complexas em velocidade mais alta que os dados históricos da organização e do mercado sinalizam.

Como o método chega a esse resultado? São utilizadas várias técnicas, como as de discussão de casos reais, busca de consenso, role play, entrevistas, situações de crescente tensão, análise de diferentes atributos e mais. Elas estão inseridas em 3 etapas:

  • avaliação cognitiva: contempla raciocínios lógico e analítico, e domínio do idioma inglês e português;

  • assessment: abrange leitura do contexto, visão estratégica, inteligência emocional e resiliência, e mais. Através do Couping verifica o recrutamento dos recursos pessoais de maneira a obter resposta funcional nas situações de tensão crescente. Já o Grit verifica a disposição, determinação e o quão destemido é o profissional diante da adversidade e do desconhecido;

  • dinâmica em grupo: considera as soft e social skills, articulação, influência e persuasão, construção de vínculos, liderança e negociação, estilos de liderança e eficácia.

Assim, com o IAPP é possível avaliar tanto as soft skills quando as social skills. Afinal, o indivíduo pode ter as competências necessárias de uma, mas não de outra. É aí que a mensuração se torna necessária, já que a alocação dos colaboradores deve ser adequada e seguir diferentes estratégias.

Ou seja, o quanto os membros de seus times estão preparados para desenvolver quaisquer que sejam as competências exigidas em um futuro desconhecido e em constante movimento?

Logo, você consegue analisar as competências dos seus colaboradores, com foco no contexto futuro, desconhecido e em constante transformação? Se quer mais dicas para alcançar esse patamar, siga nossos perfis nas redes sociais. Estamos no Facebook e no LinkedIn!
 

Powered by Rock Convert

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up